Sábado, 20 de Abril de 2024
25°

Parcialmente nublado

Pariquera-Açu, SP

Dólar
R$ 5,20
Euro
R$ 5,55
Peso Arg.
R$ 0,01
Entretenimento Estilo de Vida

Médicos orientam como manter as crianças hidratadas no verão

Bebês recém-nascidos e até um ano de idade, ensina a nutricionista, não podem tomar água, chá, sucos ou outros líquidos.

23/02/2024 às 19h37
Por: Redação Fonte: Agência Dino
Compartilhe:
Schutterstock
Schutterstock

Com o calor acima da média para o verão em diversas regiões do Brasil, se hidratar mais é essencial para não adoecer. Mas para os pais esse pode ser um desafio à parte, quando lidam com seus filhos. Não é toda criança que gosta de água in natura. Por isso, alguns recorrem aos sucos e outros tipos de líquidos, para que os pequenos tenham alguma ingestão de líquido para hidratar o corpo. Entretanto, o suco não é a forma de hidratação ideal para crianças.

Sarina Giongo Antoniassi, nutricionista materno infantil do Eco Medical Center, em Curitiba, explica que, apesar de as crianças preferirem os sucos, é a água que vai hidratar e regular a temperatura do organismo. Por isso, por mais que as crianças “batam o pé” e peçam suco, o adulto deve estimular ao máximo a hidratação com água, até que a criança aprenda a gostar, entender a importância e passe a consumir por conta própria. "Deixar garrafinhas abastecidas com água pela casa é uma ótima dica", diz a profissional.

Isso não significa, no entanto, que o suco deva ser proibido às crianças. Pelo contrário, ele continua sendo saudável e indicado, mas como opção para compor um lanche ou as refeições, sempre lembrando que o suco deve ser consumido preferencialmente de forma natural, feito diretamente da fruta e sem açúcar. Mas o lembrete é claro: nos intervalos das refeições, a hidratação deve ser feita com água.

Bebês x água

Bebês recém-nascidos e até um ano de idade, ensina a nutricionista, não podem tomar água, chá, sucos ou outros líquidos. No caso deles, a hidratação, até os seis meses de idade, é feita exclusivamente com leite materno ou fórmula infantil. Depois desse período, o pediatra e o nutricionista vão introduzindo aos poucos outras formas de alimentação e hidratação na rotina da criança.

Os  sucos naturais, no entanto, só podem ser dados aos bebês após um ano de idade, sempre sem açúcar, e com a quantidade controlada por faixa etária, seguindo sempre a orientação médica.

Alimentos que ajudam a hidratar

Nessa época de calor, as famílias devem priorizar as preparações leves, de fácil digestão e caprichar no consumo de frutas, verduras e legumes. É preciso evitar frituras, carnes mais gordurosas e pratos com grande quantidade de feijão na preparação (feijoada, por exemplo), que são pratos muito pesados para o calor.

Existem frutas e legumes que possuem mais água na composição e ajudam no processo de hidratação do corpo, sendo grandes aliadas. São exemplos: melancia, melão, abacaxi, tomate, abobrinha, pepino, que são justamente os alimentos dessa safra, da época de verão.

 

Crianças e a falta de apetite

Sarina reforça que, no verão, com o excesso de calor, algumas crianças podem ter o apetite reduzido. “Então, sempre observar se a criança está consumindo os mesmos grupos que sempre consumiu, se ela não está reduzindo os grupos alimentares. Porque se ela só reduzir um pouco a quantidade, é normal, é aceitável por causa das altas temperaturas”, ensina a nutricionista.

 

Locais “limpinhos”

Outro fator importante sobre a alimentação nessa época do ano, alerta Sarina, é para a qualidade higiênico-sanitária dos locais onde a família vai comer. Nessa época de verão, aponta ela, é mais comum às famílias alimentarem-se fora de casa, devido às férias escolares.

Mas é preciso tomar muito cuidado com o local escolhido para isso. “Observe bem a qualidade higiênico-sanitária dos locais onde vão comer, a estrutura do local, o asseio dos colaboradores e evitem elementos de risco, como maionese caseira feita com ovo cru, por exemplo, ou produtos muito manipulados, para não terem nenhuma questão relacionada à contaminação de alimentos, que é favorecida por essas altas temperaturas do verão”, alerta Sarina.

Sobre o Eco Medical Center

O Eco Medical Center é um centro médico em Curitiba, criado para facilitar a jornada de saúde do paciente. No ecossistema, é possível encontrar mais de 35 especialidades médicas, além de diversos serviços de saúde pensados para levar praticidade e comodidade ao paciente que busca atendimentos preventivos e tratamentos, tudo em um só dia e no mesmo lugar.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.